terça-feira, 21 de outubro de 2014

Polícia Civil flagra presidiário traficando drogas dentro de “quentinhas”

DSC02993Canindé

A equipe da Polícia Civil de Canindé efetuou uma prisão inusitada nesta cidade do Sertão Central. Os policiais flagraram um presidiário traficando drogas para outros detentos, recolhidos nos xadrezes da delegacia. Segundo os inspetores, o acusado, Francisco José da Silva, utilizava as marmitas de comida, popularmente conhecidas como “quentinhas”, para atender aos pedidos dos usuários presos. Dessa vez foram apreendidas cerca de 3 gramas em pedras de crack.
Conforme os policiais civis o presidiário estava cumprindo pena em regime fechado, desde 2012, pelo assassinato de sua esposa. A Justiça havia concedido a ele trabalhar na cozinha da cadeia pública. As investigações ainda estão sendo realizadas para esclarecer desde quando o presidiário cozinheiro estava traficando drogas nas “quentinhas”. A participação de outros detentos também está sendo investigada.
DSC02995Além do tráfico de drogas o presidiário está sendo investigado sobre o envolvimento em falsos sequestros, através de ligações telefônicas. Nos últimos meses várias pessoas foram vítimas desse tipo de crime em Canindé. A suspeita do envolvimento de Francisco José da Silva nesses crimes está relacionada aos 11 telefones celulares e seis chips encontrados dentro do armário dele, na cadeia pública. Havia inclusive outros dois “celulares”, de cachaça, dentro do armário do presidiário.

Mulher é assassinada a tiros na zona rural de Quixadá

Homicídio Juá 1.jpg 2Quixadá
Uma mulher ainda não identificada pela Polícia foi encontrada morta no início da noite desta segunda-feira, 20, no distrito de Juá, na zona rural de Quixadá. Segundo a Polícia, a vítima, morena, de baixa estatura, aparentando idade entre 20 a 25 anos, foi atingida por dois disparos de arma de fogo, a altura da axila esquerda.
Ainda de acordo com a Polícia, o corpo foi encontrado por volta das 19 horas, numa estrada carroçavel, de acesso à localidade de Marias Pretas nas proximidades da sede de Juá.
Além de trabalhar para identificar a vítima a Polícia iniciou diligências para desvendar os motivos do crime e sua autoria.

Polícia investiga morte de médico

MISTÉRIO

Ortopedista foi encontrado morto dentro de um flat na Praia de Iracema; carro foi localizado ontem

Image-0-Artigo-1724844-1
Sepultamento reuniu amigos e parentes do médico ortopedista no cemitério São João Batista, no Centro da Capital; a imprensa não foi autorizada a entrar no local, que foi tomado pela dor da revolta causada pelo crime
FOTOS: RUI NÓBREGA
Image-1-Artigo-1724844-1
Corpo da vítima foi encontrado com três perfurações no pescoço, em um quarto de flat; vizinhos ainda não foram ouvidos oficialmente pela Polícia
A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) está investigando a morte de um médico e empresário, ocorrida no flat da vítima, situado à Rua Joaquim Nabuco, 166, no bairro Meireles. O corpo do ortopedista foi achado no último domingo. Ontem, por volta de 16h, foi realizado o sepultamento, no Cemitério São João Batista, no Centro.
De acordo com o delegado Ricardo Romagnoli, diretor da DHPP, o crime, provavelmente, se trata de um latrocínio (roubo seguido de morte). Conforme a Polícia, o ortopedista Cláudio Mariano Alencar Barreira Braga, 55, morava sozinho.
Seus amigos e familiares deram por sua falta na quinta-feira (16). Os contatos pelo telefone não foram bem-sucedidos, pois o aparelho permanecia desligado. O médico também teria faltado aos plantões que daria nas noites de sexta-feira (17) e sábado (18) e o fato causou estranheza nos colegas, já que não era costume dele faltar ao trabalho.
Os muitos indícios de que Cláudio Braga estava desaparecido levaram os familiares a iniciarem uma busca por ele, que foi finalmente encontrado sem vida, dentro de flat dele, na tarde do último domingo (19).
A Polícia foi acionada e iniciou as investigações do caso. "O corpo estava sob a cama, apresentando ferimentos que denunciavam que houve violência na prática do crime", disse o diretor da DHPP.
Bens roubados
A caminhonete de Cláudio Braga, uma Ford, modelo Ranger, que estava na garagem, foi roubada, juntamente com outros pertences como a bolsa com os instrumentos médicos, o aparelho celular, a carteira e um tablet. Nenhum dos vizinhos declarou ter visto algo que pudesse levantar suspeitas de que um crime tivesse ocorrido no local.
"As pessoas com quem tivemos contato no local do crime disseram que ele era uma pessoa séria, comprometida com o trabalho. Por enquanto, não temos nenhum motivo para acreditar que tenha sido executado, mas o local do crime, à priori, não tinha sinais de arrombamento. A hipótese mais forte neste momento, é que tenha se tratado de um roubo seguido de morte, já que o veículo dele foi levado", disse Romagnoli.
O delegado contou, ainda, que o corpo do ortopedista apresentava lesões no pescoço que podem ter sido causadas por um objeto perfurante. Uma equipe da Perícia Forense do Ceará (Pefoce) esteve no local do crime colhendo elementos que confirmem qual objeto, precisamente, foi usado para matar o médico. "O corpo apresentava, pelo menos, três lesões profundas no pescoço, causadas por uma arma branca, semelhante a uma faca", disse o delegado.
Os peritos fizeram análises no flat, que devem ser anexadas ao inquérito policial. Um cigarro, encontrado no local, foi apreendido. Romagnoli disse que o cigarro será enviado à Pefoce, que irá se manifestar sobre quais substâncias pode conter. "Não podemos afirmar nada sobre ter drogas no local do crime. A única coisa encontrada foi este cigarro, que pode ser legal e não uma droga ilícita".
Ricardo Romagnoli disse que a caminhonete do médico foi encontrada abandonada, na manhã de ontem, no bairro Castelo Encantado. "A Ranger estava estacionada junto a uma calçada, sem dois pneus. O fato chamou atenção dos populares que chamaram a Polícia. Quando os agentes chegaram lá e cruzaram as placas, constataram que era a Ranger do médico".
O delegado informou que ainda não conversou com os moradores da área onde o carro foi achado. "Ainda vamos ouvir oficialmente as pessoas da rua onde o carro estava, que podem ter informações importantes, assim como os vizinhos da vítima".
Romagnoli disse ainda, que próximo ao flat onde o corpo da vítima foi encontrado pode haver circuito interno de segurança e que, confirmada a existência das câmeras, irá solicitá-las aos proprietários. Até agora, nenhum suspeito foi identificado.
Sepultamento
O corpo do médico foi enterrado na tarde de ontem, sob comoção e revolta de amigos e familiares, no Cemitério São João Batista, na Capital.
O local ficou restrito à entrada das pessoas próximas a Cláudio, que foram dar o último adeus ao médico, que tinha como especialidade a ortopedia.
Bastante abalados, os familiares não falaram com a imprensa. Coube à advogada e amiga da família, Ana Flávia Parente Cavalcante, externar o sentimento de dor pelo crime que tirou a vida de Cláudio.
"Até agora, sabemos pouca coisa também, apenas o mesmo que a Polícia. Ele estava desaparecido desde quinta-feira, não foi trabalhar, e no domingo fomos com apoio policial até o flat e o encontramos já sem vida. Nunca imaginamos que algo assim pudesse acontecer. Ainda não sabemos o motivo", disse.
Os familiares levaram rosas brancas, que foram arremessadas como forma de homenagem, com a colocação da urna. O som suave de um violino dava o tom para os cânticos religiosos.
Márcia Feitosa/Levi de Freitas
Repórteres

Acusados de matar 3 mulheres vão a júri

Acidente

Laje desaba e deixa três pessoas feridas
O desabamento de uma laje deixou três pessoas feridas na tarde de ontem. O acidente aconteceu no início da tarde na Rua Jaime Benévolo, no bairro de Fátima. A dona da residência, uma médica aposentada, estava embaixo da laje e foi atingida, além de dois operários.
Horizonte
Acusados de matar 3 mulheres vão a júri
Os réus Roni Gomes Leandro de Oliveira e Diego Gonçalves serão levados a júri popular. Eles são acusados de furtar, estuprar e matar três mulheres, em maio deste ano. O triplo homicídio ocorreu no município de Horizonte.

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

MATOU A ESPOSA

Ex-vereador vai a Júri Popular

Francisco das Chagas Filho, o 'Alan Terceiro', é acusado de assassinar a pedagoga Andréia Aderaldo Jucá em 2013

hh
O acusado foi preso em flagrante, ainda dentro da residência do casal. Ele foi encontrado sujo de sangue e com ferimentos nas mãos. A Polícia teve de intervir para evitar agressões de populares revoltados com o crime cometido
g
Francisco das Chagas Filho será julgado pelo 1º Tribunal Popular do Júri pelo crime de homicídio duplamente qualificado
FOTO: AGÊNCIA DIÁRIO
O ex-vereador Francisco das Chagas Filho, 42, conhecido como 'Alan Terceiro', será julgado pelo 1º Tribunal Popular do Júri pela morte da ex-mulher Andréia Aderaldo Jucá, à época com 39 anos.
O réu, que é acusado de matar a companheira no mês de outubro de 2013, com, pelo menos, 20 golpes de faca, responderá pelo crime de homicídio duplamente qualificado (motivo torpe e à traição, de emboscada, ou mediante dissimulação ou outro recurso que dificulte ou torne impossível a defesa do ofendido). A defesa que representa o ex-vereador recorreu da decisão.
A juíza Danielle Pontes de Arruda Pinheiro, da 1ª Vara do Júri, pronunciou Francisco das Chagas, acatando a denúncia do Ministério Público (MP).
"Declaro admissível a acusação para pronunciar o acusado [...] haja vista a comprovada materialidade do fato e existência de indícios suficientes de autoria", diz um trecho da Sentença de pronúncia, que foi publicada no Diário da Justiça Eletrônico, no último dia 9.
No documento, a magistrada também decide manter o réu preso. "Resta demonstrado no caso dos autos, já que pelo que se vislumbra, não há qualquer fato novo que justifique a revogação do decreto preventivo, considerando que a liberdade do agente põe em risco a ordem pública, bem como a instrução criminal, a teor do que dispõe o art. 312 do CPP, de modo que mantenho a prisão por seus próprios e jurídicos fundamentos".
Defesa
O advogado Ernando Uchôa Lima Sobrinho, que representa a defesa do ex-vereador, explica que aguarda a decisão do juízo acerca do pedido de reconsideração da pronúncia.
"Apresentamos um recurso contra a decisão de pronúncia e o juízo deve fazer firmar a reconsideração ou não da decisão de pronúncia e depois dar vistas à defesa para apresentar razões do recurso, e ser apresentado à superior instância, que é o Tribunal de Justiça", disse.
Uchôa relata que Francisco das Chagas vive 'situação ruim', recolhido nas celas do sistema penitenciário cearense, as quais chamou de 'masmorras'. Alan Terceiro foi preso em flagrante no dia do crime, 13 de outubro.
"Francisco está recolhido ao cárcere e como qualquer pessoa está vivendo situação muito ruim, principalmente por estar nas masmorras do Ceará. Está na situação de preso, como outro qualquer, submetido ao regime carcerário do Estado. Ele permanece aguardando a manifestação da Justiça sobre os pedidos que temos feito a respeito do caso dele", afirmou.
O crime
O homicídio ocorreu no domingo, dia 13 de outubro do ano passado. Vizinhos ouviram gritos de desespero de dentro da casa e ligaram para a Polícia.
As viaturas demoraram a atender a ocorrência e os moradores da Rua Frei Marcelino, bairro Rodolfo Teófilo, resolveram arrombar o portão e entrar na casa, mas já era tarde demais.
A pedagoga Andréia Jucá já estava morta e Francisco das Chagas permaneceu na casa. Policiais militares chegaram depois que os vizinhos resolveram entrar na casa e prenderam o homem em flagrante. O ex-vereador não ofereceu resistência à prisão. Ele foi levado ao 34º DP (Centro), sendo depois transferido à Casa de Privação Provisória de Liberdade José Jucá Neto (CPPL III) e permanece preso aguardando julgamento.
Em 1º de abril, a Justiça de Fortaleza negou pedido de prisão domiciliar feito pela defesa.
Fique por dentro
Acusado alegou traição
Francisco das Chagas Filho, conhecido como 'Alan Terceiro', é ex-vereador, tendo sido, também suplente pelo PT do B de Fortaleza, além de ex-presidente de uma cooperativa de topiqueiros e chefe de gabinete da Prefeitura de Madalena, cidade localizada a 186 quilômetros de Fortaleza.
Na ocasião do crime, cometido dentro da residência do casal, localizada na Rua Frei Marcelino, no bairro Rodolfo Teófilo, populares tentaram agredir o homem. A Polícia Militar teve de intervir para evitar o linchamento.
Andréia Aderaldo Jucá, 39, era mãe de três filhos menores. O relacionamento com o ex-vereador, segundo populares, era conturbado.
Ao ser preso em flagrante, Francisco das Chagas alegou ter flagrado a esposa na companhia de um amante e, segundo ele, teria travado uma luta corporal com o rival. A Polícia, todavia, ouviu moradores próximos e ninguém teria visto o suposto amante da vítima no local do crime.
A vizinhança afirmou ter ouvido gritos do casal e barulho de luta corporal dentro da residência por volta das 15 horas. O Ronda do Quarteirão teria sido chamado pelos vizinhos, mas houve demora no atendimento da Polícia. Quando os militares chegaram na casa, a mulher estava morta na sala e o marido permanecia na residência.
De acordo com policiais que atenderam a ocorrência, 'Alan Terceiro' estava "sentado na cama, com as mãos feridas", e não reagiu à voz de prisão.
Dezenas de pessoas se aglomeraram na frente da casa e, ao saber que o assassino ainda estava ali, tentaram invadir o local.
Levado ao 34º DP, ainda com as mãos feridas, o ex-vereador repetia, "Sou pessoa de bem e fui traído".

Pistoleiro 'Courinhas' será julgado nesta segunda

JUSTIÇA
Image-0-Artigo-1724080-1
O pistoleiro é apontado, informalmente, como participante de mais de uma centena de crimes de homicídio praticados em Estados do Nordeste
José Enilson Couras, o 'Courinha', pistoleiro acusado de participação em dezenas de crimes de homicídio no Ceará e no Piauí, vai a julgamento nesta segunda-feira, no Fórum Clóvis Beviláqua, por mais um assassinato a ele atribuído.
O crime em questão é a morte de Francisco Francinildo Fernandes da Silva, ocorrido em 9 de outubro de 1986. Na ocasião, a vítima foi alvejada com dois disparos de arma de fogo num bar localizado na rua do Cruzeiro, em Iguatu, a 380 quilômetros da Capital. Silva, antes de morrer, teria identificado 'Courinhas' como autor dos disparos.
De acordo com relatos da época, o acusado se aproximou da vítima em seu carro, um veículo Del Rey, com os faróis apagados, e realizou dois disparos. O crime aconteceu pela madrugada. Francinildo identificou seu executor a testemunhas e faleceu pouco depois de ser baleado.
Temido
Apesar do homicídio ter acontecido na cidade do centro-sul cearense, o julgamento será em Fortaleza, uma vez que foi pedido pelo Ministério Público (MP) o desaforamento, isto é, o deslocamento do processo para outra comarca, alegando que o acusado poderia amedrontar os jurados da cidade de origem. Se obtiver a pena máxima, José Enilson poderá ser condenado a trinta anos de prisão.
José Enilson já foi julgado e condenado por outros homicídios. Em 2009, foi apenado pela morte do engenheiro José Ferreira Castelo Branco, o 'Castelinho'. O crime teria sido cometido a mando do coronel PM José Viriato Correia Lima, do Piauí.
Em fevereiro de 2010, 'Courinhas' foi condenado a 15 anos por ter assassinado, em 1996, o comerciante Sinval Correia Braga, no município de Jucás, localizado a 407 quilômetros de Fortaleza. Em agosto daquele ano, foi punido com 14 anos de prisão pela morte de Manoel Cândido Diniz, em 1983.
Alguns dos crimes teriam sido executados para que os envolvidos pudessem se apossar de seguro de vida feitos pelas vítimas, que eram parentes dos assassinos apontados.
O advogado de 'Courinhas', Luis Augusto Correia Lima de Oliveira, afirma que espera um desfecho breve do caso, e ressalta que a defesa está consciente da inocência do acusado, apesar do pré-julgamento que a sociedade impõe ao réu pelo seu passado. "Meu cliente é condenado pelo seu passado, não pelos fatos, pela Lei e muito menos pelo suposto crime. Não se pode incriminar ninguém por antecipação", destaca.

DOIS MORTOS

Carro parte ao meio em acidente
Image-0-Artigo-1724127-1
Com a violência do impacto, o veículo ficou completamente destruído, sendo dividido no centro em duas partes; motorista fugiu do local do sinistro
Duas pessoas morreram e outra ficou ferida em acidente grave registrado na tarde de ontem no km 7 da rodovia CE-350, no município de Aquiraz, Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).
Segundo informações da Polícia Rodoviária Estadual (PRE), um automóvel modelo Volkswagen Gol, de placas HUF 0170, supostamente em alta velocidade, teria sobrado em uma curva e colidido com um poste.
Vítimas
Por conta do impacto, o carro acabou partindo ao meio. Dois passageiros morreram de imediato no local do acidente e um terceiro ficou ferido, sendo levado à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Horizonte, também na RMF.
Por conta dos ferimentos, a terceira vítima teve de ser, em seguida, encaminhada ao Instituto Dr. José Frota (IJF), no Centro de Fortaleza.
O motorista do veículo fugiu e ainda não foi identificado pela Polícia. Uma equipe da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) foi direcionada ao local.
Atropelamento
Já por volta das 20h de domingo, foi registrado o atropelamento de um motociclista na Rua Barão de Sobral, bairro Montese, na Capital.
Segundo informações de populares, o homem foi colhido por um ônibus, perdendo o controle da motocicleta. Na sequência, foi atropelado e ficou embaixo dos pneus do veículo, aguardando atendimento.
A suspeita era de que o homem tivesse sofrido fratura nas duas pernas. Unidades do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foram enviadas ao local para socorrer a vítima do sinistro. Até o fechamento desta edição, o homem não havia sido identificado.